Jovem com marcas de nascença dá lição de autoestima!

Com boa parte do abdómen e das pernas coberta por uma grande marca de nascença, a norueguesa Mathilde Arctander afirma que cansou de se esconder e aceitou a condição, que, ela explica, a torna única.

Artista e estudante de terapia ocupacional, a jovem nasceu com nevo melanocítico congénito (NMC), uma condição que gera marcas pelo corpo – considerada comum, mas rara quando em maior tamanho. No caso dela, as marcas espalham-se em pintas pelo rosto e aumentam de volume na região da barriga, quadril e pernas.

Embora sempre tenha se visto sem qualquer preconceito, Mathilde afirma que passou a questionar o próprio corpo quando percebeu que as pessoas estranhavam e a encaravam quando ela, por exemplo, usava um biquíni. “Eu sempre soube que eu tinha marcas de nascença, mas quando tinha uns 13 anos as pessoas começaram a me encarar”, relembra ela, segundo o Dailym Mail. “Não sofri muito bullying, mas sempre pensei: o que tenho de errado, por que tenho essas marcas; o que não era nada fixe. No começo, eu pensava muito sobre isso”.

Anos depois, a jovem, agora com 22 anos, diz que já nem repara em quando as pessoas fixam o olhar em sua pele. “Eu sou única. Posso não ter uma pele comum e tudo bem. Já não acordo toda manhã e questiono”, garante. “Minhas marcas de nascença são parte de mim e eu não as removeria se eu tivesse a chance. Quando vejo outras pessoas com marcas de nascença eu acho elas tão bonitas também; cada um de nós é diferente e isso é legal”.